Hino da Cidade

I

Soledade tua terra foi cenário de verdes campos, sesmarias, plantações, a erva-mate, o milho, outras culturas, também presente o gado solto “chimarrão” e nas picadas que rumavam ao Rio Pardo, velhas carretas passavam no Lagoão, tempos de bugres, pêlos duros, depois gringos, personagens da história desse chão.

II

Estás na serra bem no alto lá incrustada, tens riqueza da flora do Brasil solo que aguçou a saga mineira, lendária origem com belezas mil e são as pedras que ladrilham teu progresso, Soledade tua história é tradição aqui quem chega gente amiga a ti se apega, com amor vai lapidando o coração.

Refrão
Soledade canto a paz de tua terra feitos de glórias, gloriosa há de ficar e teus encantos nossa alma sempre invadem drusas que brilham: energia a emanar.
III

E o sol brilha, brilha mais em Soledade, no teu céu estrelas têm mais fulgor a brisa forte sopra em forma de cantigas, a natureza dessa terra é só esplendor, os homens lutam demonstrando com coragem sua grande fama de peão e laçador de Soledade se tornou ele o posseiro ganhou em troca linda prenda e seu amor.

IV

E assim nossa cidade vai crescendo com suas indústrias e comércio promissor nos campos a pecuária é nossa marca, agricultura também é nosso labor, a carreta que parou lá na colina, trouxe a virgem para nos abençoar. Soledade és orgulho do Rio Grande, do Brasil és o precioso lugar.

Refrão
Soledade canto a paz de tua terra feitos de glórias, gloriosa há de ficar e teus encantos nossa alma sempre invadem drusas que brilham: energia a emanar.




Lei Municipal n.º 1.067/71 e Lei Municipal n.º 2.509/99